DCIM100GOPROGOPR0866.JPG

EM CANTOS DO BAIXÃO

O dia é iniciado com uma visita à Agryba Sabores, empreendimento de jovens assentados, onde iremos conhecer o modo de fazer e provar alimentos produzidos com o aipim

“O Turismo de Base Comunitária (TBC) é um modelo diferenciado de desenvolvimento do turismo. O conceito dele é a autogestão, o cooperativismo, a valorização da cultura local e o real protagonismo das pessoas das comunidades. Isso significa que as comunidades lideram as atividades desde sua concepção, das diretrizes de como o turismo deve funcionar até a participação nos benefícios gerados pelo desenvolvimento da atividade turística.”
Fonte: https://vivejar.com.br/pt/a-vivejar/

cultivado na região, como o chimango, um delicioso pãozinho feito com polvilho.
A segunda parada é nos lotes produtivos, local onde os assentados produzem seus alimentos. Neste momento, o visitante será apresentado a uma casa de farinha artesanal, onde a farinha de mandioca é produzida de forma semelhante àquela criada pelos indígenas. Conheceremos plantações de alimentos regionais feitos de forma agroecológica (sem uso de agrotóxicos). O visitante pode também realizar o “colha e pague”, atividade em que colhemos frutas direto do pé.
Seguimos de carro até a entrada da trilha da Cachoeira Encantada, onde caminhamos 15 minutos até chegar ao cânion da Encantada, que é uma excelente opção para quem não vai
Foto: Sirlene Rosa
Foto: João Nilson Alves da Silva

fazer a trilha inteira até chegar a Cachoeira. Na chegada ao local, somos presenteados com um enorme poço que oferece um banho revigorante. Fazemos uma pausa para descanso, lanche e retornamos pela mesma trilha até o estacionamento. Voltamos de carro até a comunidade no final da tarde para o jantar com pratos típicos, feito com alimentos produzidos no próprio local. Após a refeição, é o momento da roda de conversa entre visitantes e moradores, quando é possível conhecer melhor a história e a cultura local.

Saída: 8:20│Retorno: 18h

SOBRE A COMUNIDADE ANFITRIÃ: A origem do Baixão como comunidade ocorreu em 1998, quando 300 famílias da região do povoado de Colônia, Itaetê, ocuparam a fazenda Braziléia, que foi convertida em assentamento neste mesmo ano. O protagonismo e organização comunitária sempre foram muito fortes na comunidade. Um reflexo disso é a existência de uma Pousada Comunitária, construída no âmbito do programa Terra Sol – INCRA, administrada pelos moradores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *