DCIM100GOPROGOPR0811.JPG

EM CANTOS DA COLÔNIA E EUROPA

Começamos o dia fazendo uma caminhada pelo povoado da Colônia e depois seguimos de carro para a fazenda Lagoa dos Patos, onde vamos conhecer uma fábrica artesanal de rapadura, onde se preserva a forma tradicional de fazer um dos doces mais populares do nordeste brasileiro.

“O Turismo de Base Comunitária (TBC) é um modelo diferenciado de desenvolvimento do turismo. O conceito dele é a autogestão, o cooperativismo, a valorização da cultura local e o real protagonismo das pessoas das comunidades. Isso significa que as comunidades lideram as atividades desde sua concepção, das diretrizes de como o turismo deve funcionar até a participação nos benefícios gerados pelo desenvolvimento da atividade turística.”
Fonte: https://vivejar.com.br/pt/a-vivejar/

Depois de adoçarmos a manhã, é hora de se refrescar nas águas mansas do Rio Una, localizado no assentamento Europa, onde chegamos de
carro. O almoço é servido na mesma comunidade, sob a sombra das mangueiras do quintal da casa de Jôse, onde iremos saborear pratos típicos, como a galinha caipira e o cortado de palma. Após a pausa do almoço, é o momento de conhecer o artesanato local e seguir para os lotes produtivos, onde os assentados produzem seus alimentos. Neste local, o visitante irá conhecer plantações de produtos agroecológicos (sem uso de agrotóxico) e poderá ter o prazer de colher à fruta direto do pé. No fim do dia, vamos conhecer um terreiro de Jarê, religião de matriz africana, um candomblé de caboclo exclusivo da Chapada Diamantina.

Saída: 9:00h│Retorno: 17:30h

SOBRE AS COMUNIDADES ANFITRIÃS: Colônia se origina em 1954 como Projeto Integrado de Colonização de Andaraí. As famílias que receberam os lotes do projeto na época tinham como origem o trabalho rural em que praticavam a agricultura e viviam em regime de diárias, arrendamento ou posse. Atualmente Colônia é um povoado que conta com comércios, serviços de hospedagem e restaurantes. Possui também a sede da BVC, Brigada Voluntária da Colônia, que atua no combate aos incêndios florestais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *